Publicidade


O  Sindicato da Carreira dos Profissionais do Sistema Socioeducativo do Estado de Mato Grosso (Sindpss)  realizou Assembleia Geral  na última  quinta-feira (26.10) em frente do Centro Socioeducativo de Cuiabá (Complexo Pomeri) com os servidores da categoria, para debater a ausência de infraestrutura nas unidades socioeducativas do Estado o que traz risco à segurança dos servidores; total vulnerabilidade da segurança dos servidores em razão do desmoronamento do muro da Unidade de Internação Masculina Provisória de Cuiabá; precárias condições do prédio da antiga diretoria do Sistema Socioeducativo local para onde foi transferida a unidade de saúde; reestruturação da PCCS; equiparação salarial dos Assistentes Administrativos; publicação do edital para realização do concurso público uma  vez que essa proposta está parada na Secretaria de Gestão do Estado (Seges).

O Sindpss luta há três anos por esse concurso. O edital foi aprovado para cadastro de reserva.  Hoje para atender a demanda, de forma paliativa e muito precária foi realizado um seletivo para contratação temporária de servidores.  A carreira conta com aproximadamente 600 servidores na ativa em todo o estado, sendo pouco mais de 200 Agentes de Segurança Socioeducativo trabalhando em regime de plantão divididos em 04 plantões e 08 unidades no estado, para atender aos adolescentes 24 horas 07 dias por semana. Basta realizar um cálculo rápido para perceber que existe um déficit no número de profissionais para suprir essa demanda.

O presidente da entidade Paulo César de Souza, explica que essa luta vem de pleitos antigos, ou seja, há muito tempo os servidores estão brigando por seus direitos.

“Nos últimos três anos a gente vem conversando com os ex-secretários chefes da Casa Civil, Paulo Taques e José Adolpho, conseguimos levar nossas reivindicações e também o entendimento favorável dos secretários, algumas pautas até evoluíram, porém, essas principais que estão ligadas diretamente ao dia a dia de trabalho do servidor, elas vão e voltam, vão e voltam, e nada se resolve.

O presidente da entidade Paulo César de Souza teme que com aprovação do Projeto de Emenda Constitucional, o concurso não seja realizado, apesar da grande urgência para suprir o déficit de servidores nas unidades.

Paulo acredita que a PEC do teto dos Gastos prejudicará todo o sistema socioeducativo que já está com os recursos reduzidos. Em 2015 e 2016 os recursos acabaram por volta de outubro. Com recursos já é difícil trabalhar nesse sistema, imagine sem recursos. No caso dos servidores, a PEC prevê o congelamento de salário, ganho real, por no mínimo de cinco anos.

 Ao destacar as pautas colocadas no encontro, César falou sobre as estruturas precárias que se encontra todo o sistema. Para piorar a situação, uma parte do muro da unidade desabou na semana passada com a forte chuva que caiu em Cuiabá. “Até agora o muro da unidade não foi reconstruído, e, como afetou toda estrutura, as outras partes estão condenadas”, falou.

O presidente também explicou que onde está instalada a equipe de saúde do sistema está um caos, devido a minirreforma da unidade de internação masculina de Cuiabá. A obra está orçada em R$ 1,3 milhão para fazer somente pintura naquela unidade.

Em assembleia foi deliberado que caso a entidade não fosse atendida até segunda-feira (30) pelo estado, os servidores realizariam uma paralisação inicialmente por 24 horas. Contudo, ao protocolar o documento com as reivindicações na Casa Civil, o órgão informou ao Sindicato que a reunião de segunda-feira não seria possível devido a um agendamento de uma viagem do secretário-chefe da Casa Civil Max Russi, para Brasília com o governador e solicitou que fosse transferida para manhã de quarta-feira (01.11).

Além do secretário-chefe da Casa Civil, o Sindpss foi informado que o secretário da Sejudh, Fausto Freitas, secretário de Gestão do Estado, Júlio Modesto e o Procurador Geral do Estado, Rogério Galo participarão da reunião com o Sindicato.

Após repassar a manifestação da casa civil para que remarcasse a reunião aos servidores, restou deliberado a suspensão da paralisação.

O SINDPSS/MT informa a todos os servidores da carreira do sistema socioeducativo que após a reunião de quarta-feira dia 01.10 será convocada nova assembleia para o repasse do resultado da reunião e deliberações futuras.



Imprensa SINDPSS/MT

Data: 27/10/2017

COMPARTILHAR NOTÍCIA: